Estudo Salmos 1: O caminho dos ímpios e dos justo – Verdades bíblicas

salmos 1O salmo primeiro, é um exemplo de vida dedicada a Deus. Se todos nós, como cristão, entendermos a preciosidade desses versos que o compõe, teremos uma vida próspera e abundante na presença de Deus.

Esse é o primeiro comentário bíblico(estudo) que faço aqui no site sobre os Salmos, e fiz questão de começar literalmente pelo início do livro dos Salmos, porque sei a importâncias desse salmo que será analisado.

Podemos dividi-lo em duas partes:

  • Verso 1 ao 3: A benção dos santos.
  • Verso 4 ao 6: A carga do pecador.

Como você mesmo deve ter observado acima, ele irá tratar, tanto daqueles que servem ao Senhor como os que se desviaram dos caminhos dEle. Não consigo imaginar um cristão sem viver esse salmo, pois nele está rigorosamente escrito o caminho para a cumprir a vontade de Deus em nossas vidas.

Nesse estudo, serei bem enfático, analisando o máximo possível, versículo por versículo. Quero transpor com clareza e amor, minha compreensão sobre cada verso, claro, com subsídios adicionais. Tentando ao máximo mostrar, toda a verdade nele contida.

Se você porventura, “chegou aqui de paraquedas” e ainda não leu esse salmo, por favor, leia abaixo para sua melhor compreensão:

“Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem, e tudo quanto fizer prosperará. Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; mas o caminho dos ímpios perecerá.” (Salmos 1.1-6)

Não se sabe ao certo, quem foi o escritor desse Salmo, mas sabemos que quando compuseram a ordem do livro dos Salmos, esse foi escolhido para ser o primeiro.

Mas, vamos logo ao estudo desse lindo texto, hoje você irá aprender:

  • Bem aventurado o varão.
  • Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR.
  • Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas.
  • Não são assim os ímpios.
  • Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo.

Por favor, se tiver alguma dúvida após a leitura, escrever utilizando o campo comentário abaixo. Tenho respondido todos os leitores com dedicação!

 

Bem-aventurado o varão

“Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.” (Salmos 1.1)

O escritor desse salmo, começa de forma clara, demonstrando como um homem deve verdadeiramente portar-se diante de Deus. E ele não podia iniciar falando de outra coisa, se não, dos que são bem-aventurados.

Esse termo bem-aventurado, é em outras palavra explicado como: “Mais que felizes”. Ele é bastante utilizado também por Jesus, quando ministra na montanha (Mateus 5).

Se pararmos para pensar, não é possível construir um prédio sem escavação; semelhantemente, não pode haver vida santa sem renúncia do mal. Todos aqueles que querem ser justou, ou melhor dizendo, um homem bem aventurado, deve ir na contramão de uma sociedade ímpia, pecadora e escarnecedora.

Quando estamos constantemente, em contato com o mal, a tendência é ser leal a ele. Assim sendo, o escritor sabia que, aqueles que realmente querem se aproximar de Deus, devem fugir da aparência do maligno (1 Tessalonicenses 5.22).

A verdadeira felicidade de um homem justo, consiste em:

1- Não anda segundo o conselho dos ímpios: Impio é aquele que é desumano, bárbaro e até cruel. Não adianta seguir o conselho desse homens, pois esses consistem em pensamentos antropocêntricos, exaltando sua vontade da carne e rejeitando a vontade do Espírito Santo. Os impios, são pessoas que não tem de forma alguma os frutos do Espírito em suas vidas (Gálatas 5.22), e todos nós somos chamados para produzir frutos dignos de arrependimento (Mateus 3.8). A palavra ímpio também expressa, de uma maneira clara a desarmoniosa que o pecado incutiu na natureza humana, afetando o relacionamento do homem com Deus, com o próximo e consigo mesmo.

2- Nem se detém no caminho dos pecadores: A forma intensa do termo traduzido por pecadores indica que o autor tinha em mente transgressores habituais e determinados. Nós sabemos que os nossos pecados nos afastam de Deus (Isaías 59.2), então de forma alguma podemos se deter no caminho dos pecadores, pois isso nos afasta do Criador.

3- Nem se assenta na roda dos escarnecedores: Os escarnecedores, com freqüência descritos no livro de Provérbios, são “os ímpios da pior qualidade; eles são arrogantes, briguentos, injuriosos, inimigos da paz e ordem entre os homens e em suas comunidades, e zombadores da bondade”. Escarnecedores também são aqueles que rejeitam nosso Jesus, então imagine você cristão assentado em uma roda, aonde tudo que eles falam ou estão zombando ou difamando o nome do Senhor. Esse último é tão grave e diabólico, que uma vez tomei conhecimento sobre um fato de um terreiro de Umbanda, localizado perto de minha residência. Foi me informado que todos aqueles que iam lá, e já tinha de alguma forma ou outra, acreditado na pessoa de Jesus, se realmente decidissem seguir a religião Umbanda, deviam ficar trancados em uma sala, durante um período de um dia e lá zombavam e xingavam o Espírito Santo de Deus. Agora pense, se o diabo faz isso com todos aqueles que são seus seguidores, porque então você continua se assentando ao lado dessas pessoas?

Existe um progresso inequívoco aqui, descrevendo o caminho que o justo evita com todo cuidado. Anda significa uma associação casual ou passageira com aqueles que estão fora de sintonia com Deus. Detém é uma comunhão contínua com pessoas que são continuamente pecaminosas em atitudes e atos. Assenta implica que a pessoa está à vontade no meio daqueles que zombam de Deus e da religião. A pessoa justa recusa-se a dar um passo sequer em direção a esse caminho inferior.

 

Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR

“Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Salmos 1.2)

Tudo aquilo que já foi descrito no verso 1, complementa esse verso 2. Um verdadeiro homem feliz é aquele que sente prazer na lei do SENHOR, e medita de dia e de noite nela. Acerca disso, o comentário bíblico BEACON diz:

O caráter do justo é então descrito positivamente. Uma pessoa que é verdadeiramente feliz faz o seguinte: Ela tem o seu prazer na lei do SENHOR, o ensino ou instrução de Javé. O termo hebraico torah tem um significado muito mais amplo do que é sugerido por “lei”. Ela representa todo o caminho revelado de vida contido nos ensinos de Moisés e nos profetas e é usada paralelamente com a expressão “a palavra do Senhor”. Estes termos são virtualmente sinônimos. O termo hebraico para medita vem da raiz que sugere o murmúrio (sussurro) daquele que está estudando à meia voz as palavras de um livro. “A verdadeira felicidade não se encontra no próprio pensamento do homem, mas na vontade revelada de Deus”. O cristão é “gerado, guiado e nutrido pela Bíblia”

Se uma pessoa não tem um minimo de interesse de saber sobre a Bíblia, quero dizer, que essa pessoa e um ateu são quase a mesma coisa. Porque os dois falam do que não conhecem.

Para isso, todos nós devemos meditar nas Escrituras, pois como o salmista disse, são lâmpadas para os nossos pés e luz para os caminhos (Salmos 119.105). Você também pode descobrir um pouco mais sobre meditar, em outro estudo que publicamos aqui no site, ensinando justamente sobre isso.

O alimento de todo cristão deve ser a Palavra, logo, se ele não lê, estará sem alimento sólido, sujeito facilmente a cair em pecado.

 

Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas

“Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem, e tudo quanto fizer prosperará.” (Salmos 1.3)

Em consequência dessa vida de devoção a Deus, seremos com uma arvore aonde tem abundância de água e fruto, cujo as folhas não caem e tudo quanto fizer prosperará.

Se pegar cada um desses elementos citados podemos aprender 3 verdades importantes sobre esse verso, vejamos:

1- Abundância de água: Uma pessoa que é justa, tem sempre água para produzir os seus frutos. Se analisar água segundo a Bíblia, veremos que o próprio Senhor falou que quem nele crê rios de águas vivas correrão do seu ventre (João 7.38). Essa água é o Espírito Santo em nossas vidas, que muitas das vezes diante das dificuldades ele nos ajuda. Somente uma pessoa que é plantada junto a ribeiros de águas, consegue provar da graça e da paz proporcionada por Jesus.

2- Abundância de fruto: Uma pessoa na presença de Deus, dá os frutos na estação própria. Não importa por qual momento que você está passando, se muitas das vezes parece impossível, continue pelejando. Deus vai fazer no momento certo seus frutos aparecer. Lembre-se da ilustração que ele fez com a videira, toda a vara que não da fruto ele tira, porém, aquelas que dão fruto, ele limpa, para que dê mais fruto ainda, porque sem Ele nada podemos fazer (João 15.1-5).

3- As folhas não caem e tudo quanto fizer prosperará: As folhas não cair é um simbolo de prosperidade dessa árvore. Vale ressaltar que não estou falando de uma prosperidade igual a muitos que creem que Jesus é obrigado a te dar. A prosperidade que estou falando, é aquela que você luta e peleja e nunca falta nada na sua casa. Ainda que por certos dias, você não tenha toda a fartura, pode ter certeza, de fome você não morre. Aliás, esses dias me peguei pensando, eu percebo que existem pessoas na igreja que mesmo com muitas necessidades, principalmente alimentícias, mas elas, nunca morrem de fome, porque Jesus sempre está cuidando de um jeito ou de outro.

Pode ter certeza, que Jesus está cuidando e cultivando cada árvore que persevera na sua presença. Como disse no início do estudo, esses três primeiros versos que já foram analisado, fala sobre a benção dos santos, agora, iremos analisar a carga do pecador!

 

Não são assim os ímpios

“Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.” (Salmos 1.4)

Existe um enorme contraste entre o pecador e o justo. Como já vimos, aqueles que estão no Mestre, são como árvores, em contrapartida, os ímpios são apenas moinha(palha) que o próprio vento espalha.

Podemos contextualizar um pouco mais essas palavras. Naquela época no local de debulha, aonde geralmente era no topo de um monte, se era jogado o trigo e a palha juntos para cima. O vento levava somente a palha, pois o trigo, era pesado.

Esses são os caminhos pecaminosos, são levados pelos ventos. Uma hora está de um jeito, e algum tempo depois, já está de outro. Não tem consistência naquilo que faz, ou que vive, fica pulhando de galho em galho sem ter um verdadeiro rumo na vida.

Nós como servos do Soberano, não podemos de forma alguma ser assim. Pois, se como a palha significa que somos facilmente enganados. Aliás, existem tantas igrejas hoje em dia pregando heresias em cima dos seus púlpitos, justamente por causa disso. As pessoas são como palhas, não querem se aprofundar na verdade, muitos já não oram e também não leem a Bíblia. Um povo longe da verdade, levado por falsos mestres (1 Timóteo 4.1-16). 

Como toda atitude leva a uma consequência, veremos a dos ímpios.

 

Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo

“Pelo que os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; mas o caminho dos ímpios perecerá.” (Salmos 1.5-6)

Para esse último tópico, faço questão de mencionar novamente o comentário bíblico BEACON:

As pessoas ímpias são semelhantes à palha, sem raízes ou frutos, incapazes de subsistir no juízo (5). Os ímpios não conseguirão sobreviver ao julgamento do último dia nem ao julgamento contínuo do peneirar providencial de Deus do caráter humano.

Nem resistirão os pecadores na congregação dos justos. Esses pecadores são persistentes e habituais, como no versículo 1. A congregação dos justos é o ideal bíblico para a verdadeira comunidade de fé.

O propósito dos julgamentos atuais de Deus bem como do seu julgamento final no porvir (Mateus 13.24-30, 36-43) é remover o mal e os malfeitores de sua Igreja. Um resumo do contraste entre justo e ímpio no Salmo 1 pode ser observado no seu último versículo.

A primeira parte do versículo 6, Porque o Senhor conhece o caminho dos justos, resume os versículos 1-3. A segunda parte resume os versículos 4-5.

O Senhor conhece, não no sentido abstrato de estar ciente ou informado, mas no sentido concreto e pessoal de cuidar, aprovar, guiar e estar atento. E possível, em alguns contextos, traduzir yada, “conhecer”, por “cuidar” ou “se importar”. De modo inverso, o caminho dos ímpios perecerá, terminará em ruína, “caminhos da morte” (Provérbios 14.12). As primeiras e últimas palavras do salmo resumem o contraste que é traçado entre os jus- tos e os ímpios: bem-aventurado e perecerá.

 


Notas:

Versão bíblica  – Almeida corrigida e revisada (Fiel)

Comentário bíblico BEACON 

. .

8 Respostas: Estudo Salmos 1: O caminho dos ímpios e dos justo – Verdades bíblicas

  1. Ana Lúcia disse:

    Parabéns tudo bem explicado tem palavra que a gente não entendi e aqui você explica direitinho, antigamente eu não sabia o que significava galardão, ímpio tem bastante palavras aí que a gente não entendi parabéns

    • Felipe Bernardino disse:

      Amém Ana Lúcia, muito obrigado mesmo pelo seu comentário, fico muito feliz com resultados igual o que te proporcionei, Deus abençoe sua vida!

  2. Antonio Sarmento disse:

    Muito obrigado pelo lindo estudo do salmo – 1 , aprendi muito . DEUS ti abençoe , um forte abraço.

  3. Adriane nascimento pedro disse:

    Muito bom viu! entendi tudo!bem explicado
    Parabéns…Obrigada!!

  4. Acácio Santana disse:

    Parabéns Filipe, li o estudo do salmo 1 todas suas explicações estao corretas porque fundamentada na palavra de Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *