A parábola do Semeador Explicação – Quem são os semeadores? (Estudo Completo)

A parábola do Semeador Explicação – Quem são os semeadores? (Estudo Completo)

A Parábola do Semeador pode ser encontrada nos livros de Mateus, Marcos e Lucas e registra o ensino de Jesus à beira da praia com seus discípulos e uma multidão de pessoas. Ali, tendo um barco como púlpito, Jesus começa a então contar a “Parábola do semeador”, em algumas versões encontramos como “a história da semente” e até como “o semeador”.

As parábolas contadas por Jesus possuem ensinamentos únicos sobre a Palavra e o Reino de Deus e são surpreendentes em sua revelação a cada pessoa individualmente. É incrível quantas coisas diferentes podemos aprender mesmo lendo-as muitas vezes. Durante esse estudo navegaremos entre esses três evangelhos que contém a parábola, e vamos extrair diversos aprendizados.

Para ilustrar as verdades espirituais que somente Jesus conhecia, frequentemente ele utilizava parábolas, histórias sobre os acontecimentos do dia a dia. A parábola do semeador relata de que forma a mensagem da salvação será recebida no mundo.

A parábola do semeador é considerada muito importante, não só por estar nos três primeiros evangelhos, mas também  por ser fundamental no entendimento de outras.

Introdução a Parábola

Jesus começa a contar a Parábola dizendo:

“O que vocês acham? Um agricultor estava semeando. Enquanto estava fazendo o seu trabalho, algumas sementes caíram pelo caminho, e as aves as comeram. Outras caíram no meio dos pedregulhos. Brotaram rapidamente, mas não aprofundaram raízes. Com o calor do sol, secaram tão rapidamente quanto haviam brotado. Outras ainda caíram no meio das ervas daninhas. As sementes chegaram a brotar, mas foram sufocadas. Por fim, algumas, porém, caíram em boa terra e produziram uma colheita que superou todas as expectativas.“Vocês estão entendendo?”- Mateus 13.3-8

Essa história fala de um agricultor que lançou sementes em vários lugares com diferentes resultados, dependendo do tipo de solo (Marcos 4.3-20)

A Bíblia diz que quando os discípulos ficaram sozinhos com Jesus, eles pediram para que Jesus explicasse o significado da parábola (Marcos 4.10). Jesus começa a explicar os diferentes tipos de terras nas quais a semente caiu.

Os diferentes tipos de terra (Mateus 13.18-23)

“À beira do caminho”: Jesus começa explicando que a semente que cai à beira do caminho refere-se às pessoas que ouvem, mas que não se apropriam da Palavra. Ela permanece na superfície, quando o Maligno vem, ele a arranca facilmente do coração de quem a recebe. Em Lucas 8.12-13, o autor acrescenta dizendo que o Diabo a arranca delas para que não acreditem que serão salvas.

“Nos pedregulhos”: a semente que cai no pedregulho refere-se às pessoas que ouvem a Palavra com muito entusiasmo, mas que diante da primeira tempestade/dificuldade perdem o interesse, a Mensagem é esquecida e não sobra nada. A semente que cai nos pedregulhos não cria raiz, a Palavra nessa pessoa é superficial e pode ser facilmente arrancada.

“Em meio as ervas daninhas/espinhos”: a semente que cai entre as ervas daninhas/espinhos refere-se às pessoas que ouvem a Palavra mas estão mais preocupadas com as coisas desse mundo. Se perdem na busca pelos bens materiais, nos prazeres, no amanhã que acabam sendo sufocados por essas coisas, não dando espaço Palavra de Deus cresça em sua vida.

“Na terra boa”: são os bons corações, a terra que acolhe, abraça a semente. É a terra onde a semente cria raiz e na qual ela cresce, torna-se uma árvore forte e frutífera. Obviamente, esta é a terra com a qual todos gostam de se relacionar, e a qual todos nós deveríamos ser. Uma pessoa que ouve a Palavra de Deus, medita nela e a põe em prática.

Uma pessoa que não deixa as coisas desse mundo, como as preocupações, tomarem a nossa mente, nem nosso coração a ponto de tomarem lugar acima dos pensamentos e da Palavra de Deus sobre a nossa vida. Uma pessoa que não deixa a Palavra de Deus entrar por um ouvido e sair pelo outro mesmo quando alguma palavra específica nos parece muito dura ou parece ser para “o vizinho”.

Uma pessoa que ouve o ensinamento, diz amém, mas assim que sai do culto, esquece do que foi pregado ou uma pessoa que o choro de vergonha pelo pecado dentro da igreja não gera arrependimento fora dela.

Aplicações Práticas na Parábola do Semeador

Às vezes, não somos “a terra boa” mas devemos buscar ser. Às vezes, encontramos alguma área de nossas vida como os outro tipos de terras. Deus em seu imenso amor, nos deu o Espírito Santo que nos auxilia na busca da vontade do Pai. Ele quer que sejamos como uma terra boa para que sejamos frutíferos nEle.

Nos três livros podemos ver duas comparações: A da semente como sendo a Palavra de Deus e a dos diferentes tipos de terra. A única comparação que Jesus não faz é a do agricultor. Ele não afirma em nenhum dos textos que o agricultor é Deus. Na maioria das vezes, lemos essa parábola e nos prendemos aos tipo de terras e como nosso coração se relaciona com elas – e, com certeza, aprendemos muito com isso – e por isso, colocamos Deus como o agricultor.

Mas e se lermos a Parábola do Semeador, como a do semeador, e não como se fosse a parábola da terra, retiramos daqui uma outra lição valiosa. O apóstolo Paulo fala em I Coríntios 3.6, “… eu plantei a semente, Apolo regou as plantas, mas Deus fez vocês crescerem.” Ele nos coloca como semeadores da Palavra de Deus no mundo.

Com essa perspectiva, nós podemos aprender com a parábola que devemos plantar com generosidade e sem distinção de pessoas. A parábola não nos diz se o semeador sabia ou não que suas sementes estavam caindo por todo lugar. A narrativa só nos diz que “enquanto (ele) fazia seu trabalho, algumas sementes caíram…” (Mateus 13.3).

Às vezes, olhamos para as pessoas e vemos “terras” e julgamos que seja um desperdício semear uma semente na vida delas. Esquecemo-nos que Jesus veio para todos, sem distinção, para a “terra” que se encontrava a humanidade. Ele veio e ensinou e se deu generosamente.

Porque Jesus ensinava por parábolas?

Quando os discípulos perguntam para Jesus por que ele ensinava através de parábolas, ele diz:

“Vocês já ouviram bastante a respeito do Reino de Deus. Conhecem as suas verdades. Mas nem todos tiveram esse privilégio. Quando alguém tem o coração preparado, a compreensão é real. Mas, se não houver receptividade no coração, logo desaparece. Por isso conto histórias. Meu objetivo é criar disposição, levar o povo a receber a Mensagem. Nas condições em que se encontram, eles ficarão ouvindo até o dia do juízo e não entenderão nada. Vão ficar irritados por ouvir tanto e não entender coisa alguma. Que não se repita a previsão de Isaías:

“Seus ouvidos estão abertos, mas não entendem uma palavra. Seus olhos estão abertos, mas não veem nada. Esse povo é cabeça-dura! Eles tapam os ouvidos com os dedos para não ter de escutar. Eles fecham os olhos para não serem obrigados a ver, e, assim, evitam ficar comigo face a face e me deixar curá-los”.”

Jesus através das parábolas tentava aproximar o máximo possível as pessoas de seus ensinamentos. Aqui podemos aprender uma lição linda de como uma das coisas mais importantes para Jesus era que as pessoas recebessem e entendessem o que ele ensinava. Por isso, ele usava situações e imagens que faziam parte da vida das pessoas daquela época, ele ensinava através de parábolas. Jesus fazia o possível para que a Palavra se tornasse receptiva ao coração das pessoas. Você já parou para pensar o que isso nos ensina?

Conclusão

Existem pessoas que vão receber e entender melhor a Palavra de Deus por causa nossas suas atitudes do que pelas nossas palavras. Existem pessoas que vão receber melhor a Palavra de Deus através de uma canção do que através de uma pregação.

Esta perspectiva nos faz ver que devemos plantar sementes em todos os lugares, ministrar a Palavra de Deus com as oportunidades que Ele tem nos dado.

São tantos os meios que Deus nos deu para espalharmos a semente, pregarmos sua Palavra para todos. Não nos limitemos o ensino da Palavra de Deus, o que Ele pode fazer através de nós e em nós.

Jesus então termina a narrativa naquele dia com uma pergunta que é pertinente até os dias de hoje: “Vocês estão entendendo?”.

Notas:

Versão Bíblica: A Mensagem

Material utilizado como apoio: As Parábolas de Jesus (Lições Bíblicas CPAD – 4º Trimestre de 2018)

14 Comments

  1. Yvone De Oliveira Chaves disse:

    Eu amei

  2. José Osvaldo dos Reis. disse:

    Paz do Senhor Filipe.parabéns pelo estudo

  3. Carlos Alberto Siqueira disse:

    Gostei demais.Uma benção diária.

  4. Maria disse:

    Eu amei. Aprendir bastante.. obrigado

  5. Luís Carlos s.s Queiroz disse:

    Maravilhoso essa pérola

  6. EDILSON JOSÉ MARTINS disse:

    A PAZ DO SENHOR meu querido ótimos estudos que o todo PODEROSO CONTINUE TE ABENÇOANDO NESTAS TERRAS.

  7. Maria Josima disse:

    Gostaria de agradecer pelos estudos que me são enviados. Está sendo de grande avalia para eu entender um pouco mais da palavra do Senhor. Que Jesus abençoe sua vida e seu ministério. Fique com a paz do Senhor!

  8. Ana Clsudia disse:

    Amei esse estudo quero receber mais conteúdos

  9. Domingos Sanches disse:

    Deus o abençoe. Mais uma enxada para o campo da evangelização.
    Obrigado

  10. Kiyoshi disse:

    amém vou estar meditando nessa palavra que eu acabei-me de ler tá obrigado 📖🙏👱👋🇯🇵

  11. Raimundo Elpidio Garcia Silva disse:

    Parabéns!!Muito bom o estudo.

  12. Ronilton disse:

    Foi muito bom Deus te abençoe,e continua te inspirando .

  13. Regina Maria de Jesus disse:

    Deus abençoe que maravilha

  14. Presbítero jorge disse:

    Muito bom estudo, bem explicado e simplificado , o senhor continue te usando poderosamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREGADOR QUALIFICADO