Conversão, o que significa? O que é? Conversão na Bíblia

Conversão, o que significa? Conversão na Bíblia

Conversão.

Conversão

Conversão: O que é conversão? Como realmente buscamos o céu? Como podemos pensar e viver as “coisas de cima”?

Assim sendo, exatamente nesse estudo eu quero falar sobre o que Paulo nos ensinou sobre conversão, além de mencionar coisas que você precisa saber sobre o assunto!

Para esclarecer, o texto que nós vamos fundamentar o nosso estudo se encontra em Colossenses 3.1-4, se você não leu ainda, leia abaixo:

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.

Abordaremos 4 verdades em cima desse texto, veja:

  • Em primeiro lugar: Os convertidos buscam mais as glórias de Cristo do que as glórias deste mundo (v. 1)
  • Segundo: Os convertidos pensam mais nas coisas do céu do que nas coisas da terra (v. 2)
  • Terceiro: A nossa vida está escondida com Cristo em Deus.
  • Em suma, quarto: Nós estamos glorificados com Cristo (v. 4)

Mas antes de falarmos exatamente sobre ser uma pessoa convertida, precisamos mencionar o passo que vem antes disso.

A saber, todos nós individualmente precisamos tomar uma decisão, ao qual é a mais importante de todas.

Essa decisão é de se render a Cristo. Portanto, é exatamente por esse ponto que quero começar.

Se render a Cristo, o que é? (Conversão)

Antes de tudo, o “se render a Cristo” é uma escolha individual, que eu e você fazemos. Portanto, não tem como terceirizar o processo de salvação, é algo que eu e você devemos escolher.

O próprio Jesus nos deixa um ensinamento em João 16.7-11, que o Espírito Santo veio para convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo.

  • Do pecado: para que creiam em Jesus.
  • Da justiça: porque Ele foi para o Pai
  • Do juízo: porque já o príncipe (Satanás) deste mundo está julgado.

Então o Espírito Santo mostrou para cada um de nós que necessitamos de um Salvador. E por isso escolhemos nos render a Cristo.

  • Aliás, somos cristãos não porque somos melhores e mais forte do que os outros. Somos cristãos porque somos fracos e admitimos que precisamos de um Salvador.
  • …Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. (Zacarias 4:6b)

Resumindo, a verdade, é que o “se render a Cristo” é um processo e não uma ocasião.

  • Se render a Cristo não é só o momento que eu levanto as minhas mãos e aceito-o como meu Salvador.
  • Portanto, se render a Cristo fala de algo constante, que dia-a-dia devemos exercitar em nossas vidas.
  • Após se render a Cristo, se dá início ao processo de conversão.
  • Assim, conversão é quando desejamos mais o céu do que a terra.
  • Em suma, sem conversão, não há salvação.

Conversão: Até onde temos buscado a Cristo?

O texto que nós lemos (Colossenses 3.1-4) nos traz isso a memória, o processo de conversão, até onde temos buscado a Cristo? Assim sendo, até onde temos desejado mais o céu do que a terra?

Paulo (o escritor) mostra que há uma estreita conexão entre aquilo em que nós cremos e aquilo que nós praticamos. Resumindo, não pode existir um abismo entre a fé e a prática, entre o discurso e a vida.

Quando a Palavra de Deus converte um homem, tira dele seu desespero, mas não seu arrependimento.

A conversão é uma obra profunda – uma obra no coração. Ela invade o homem, a mente, os membros e toda a vida.

Conversão é uma ação espiritual

Conversão é uma ação espiritual, uma atitude que devemos tomar. Então a verdadeira conversão pode ser percebida: pela nossa identificação com Cristo e pela nossa aspiração por Cristo.

Paulo começa dizendo: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo.

  • Os cristãos possuem dentro de si mesmos a vida da ressurreição. Portanto, devem experimentar o poder da ressurreição de Cristo em um grau cada vez mais alto.
  • Todos os que recebem a Cristo estão identificados com Ele na Sua morte, sepultamento, ressurreição e ascensão.
    • Vamos lá, vou te fazer 2 perguntas e você responde Cristo.
      • Quem morreu na cruz do Calvário por meus pecados?
      • Quem enfrentou a morte e venceu?
        • É Jesus que ressuscitou no domingo pela manhã.
        • Portanto, é Jesus que guia minha vida!

Assim sendo, a partir do momento que eu me rendo a verdade do evangelho, eu passo a ter uma nova vida em Cristo, ou seja ressuscitado para uma nova vida em Cristo. É isto que Paulo nos traz.

  • A minha vida deve ser uma identificação de Cristo e aspirar por Cristo.

Agora, uma vez que me entreguei para essas verdades. Vem algumas coisas que devem ser observadas.

Primeiro: Os convertidos buscam mais as glórias de Cristo do que as glórias deste mundo (v. 1)

O verbo grego que Paulo usa para “buscar”, está no presente e isso demanda uma atividade contínua e habitual.

  • O verbo “buscar” implica uma busca perseverante. Este buscar é mais do que um buscar para encontrar; é um buscar para possuir.

Como resultado, a pergunta que fica é: “Porque buscamos pouco?”

  • Por que nos contentamos com duas horas de culto?
  • Estamos orando verdadeiramente?
  • Por que lemos a Bíblia só quando estamos na igreja?
  • Nos habituamos a ir para a igreja no domingo, mas fugimos de outros cultos e eventos?
  • Limitamos o “ser cristão” ao estar dentro da igreja e não lá fora?

Uma pessoa convertida busca em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça.

  • Busca prioritariamente as coisas do céu. Aspira mais pelo Reino dos céus do que por riquezas na terra.
  • Assim, um indivíduo convertido tem saudade do céu.
  • Certamente seus olhos estão postos naquela cidade cujo arquiteto e fundador é Deus.
  • O céu é o seu lar, sua recompensa, seu prazer, sua origem e seu destino.

Daí vem Davi, e nos dá uma lição de busca ao Senhor. (Salmos 9)

  • Salmos 9.1 – Eu te louvarei, Senhor (Louvor)
  • Salmos 9.1 – De todo o meu coração (Busca incansável)
  • Salmos 9.1 – Contarei as tuas maravilhas (Eu não só busco, mas falo daquilo que vivo)
  • Salmos 9.2 – Em ti me alegrarei (Só se alegra em Jesus quem realmente vive em Jesus)
  • Salmos 9.2 – Saltarei de prazer 9 (Quando entro na presença, meus membros não se aguentam, eu salto na presença)
  • Salmos 9.3 – Os adversários não permanecem diante daquele que teme ao Senhor.
  • Daí é quando ele vem com o segredo
  • Salmos 9.10 – Só conhece o nome do Senhor quem busca.

– Alguém pode até dizer:

  • Mas porque orar tanto, quando devia estar indo atrás do filho que está perdido em drogas, amizades e coisas desse mundo.
    • Porque preparar o enxoval da criança se o médico falou que do hospital o bebê não sai vivo.
    • Porque preparar as malas para ser missionário(a) se ainda não chegou ninguém disposto a sustentar a família dele no campo.
    • Mas eu sei quem eu sirvo, eu sei qual é o nome que é sobre todos os outros nomes.

Mateus 6.33 – Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

  • Primeiro: Todas “estas coisas” e não “as demais coisas”
    • Contexto:
    • Comida.
    • Bebida.
    • Vestimenta.
  • E “as demais coisas”?
    • Eu vou atrás e luto para conseguir.
  • E quem me garante que vou conseguir?
    • Leia 1 Pedro 5.7

Segundo: Os convertidos pensam mais nas coisas do céu do que nas coisas da terra (v. 2)

As coisas do alto deviam inspirar e controlar a vida dos cristãos. Os nossos pés devem estar sobre a terra, mas a nossa mente deve estar no céu.

Deus espera que as pessoas que nasceram de novo coloquem sua mente nas coisas do Espírito. É o poder da ressurreição em nós que nos capacita a dirigir nossas mentes para as coisas de Deus.

  • Quando a Bíblia diz: pense nas coisas lá de cima, não está dando uma sugestão, mas uma ordem.

Para esclarecer, uma das principais investidas de Satanás acontece no campo da mente. Lançando dúvidas como:

  • Quem sou eu?
  • Será que realmente Jesus me perdoa?
  • O pecado vale mais a pena do que a salvação?
  • Onde coloco meu coração?
  • Qual meu verdadeiro tesouro?
  • Não é a toa que a Bíblia nos diz: Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2 Coríntios 4:4)

Por causa dessa cegueira espiritual. Hoje vivemos a inversão desses valores. Os cristãos querem um paraíso neste mundo e ajuntar tesouros na terra. Estão agarrados às coisas da terra, por isso não aspiram às coisas do céu.

  • O crente tem de manter a mente firme nas coisas transcendentes e últimas: as coisas que são de cima.
  • Como resultado, quem realmente vive por Cristo, seu coração não está preso nas coisas dessa terra.

O que o salmista nos ensina sobre buscar a Deus?

Salmos 42.1-2

  • O cervo é um animal que se encontra nas montanhas, florestas e alguns desertos.
  • A corça é um animal de pequena estatura, arisco e de costume migratório. E uma característica interessante: a corça não suporta o confinamento.
  • É um animal dotado de olfato privilegiado que lhe possibilita sentir cheiro de água a quilômetros de distância. É capaz ainda de perceber, metros abaixo da superfície, a existência de um lençol de água.
  • É um animal dotado de olfato privilegiado que lhe possibilita sentir cheiro de água a quilômetros de distância. É capaz ainda de perceber, metros abaixo da superfície, a existência de um lençol de água.
    • Daí o Salmista diz: “Como o cervo anela pelas correntes das águas, assim suspira minha alma por ti, ó Deus!
    • O mais desejo do salmista era a presença de Deus.
    • O maior privilégio para o salmista era se apresentar ante a face de Deus.
    • A maior sede do salmista, era sentir o Deus vivo.

A vida do cristão não se limita nas coisas da terra, mas olha para o céu.

Por que levamos uma vida tão distante? Por que pensamos tão pouco no céu?

  • Nosso pensamento se prende nas coisas da terra.
  • Nosso pensamento se prende nas preocupações da terra.
  • Nosso pensamento se prende nas riquezas da terra.
  • Nosso pensamento se prende no status da terra.
  • A vida do cristão é diferente 1 Pedro 5.7 – Fazer aplicação detalhada.

A nossa esfera de vida não é mais terrena.

  • Nascemos do alto. Buscamos as coisas do alto.
  • Estamos assentados com Cristo nas regiões celestes.
  • Nossa Pátria está no céu. Aspiramos às coisas do céu.
  • Isso não significa irresponsabilidade com as coisas da terra, mas significa que os nossos motivos e a nossa força vêm do céu, e não da terra

Terceiro: A nossa vida está escondida com Cristo em Deus

Nós não mais pertencemos ao mundo, mas a Cristo. As fontes da vida nas quais nos alegramos vêm somente Dele.

  • Não existe razão alguma para procurar outras fontes nem meios para o suprimento da vida cristã.
  • Assim, em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.
  • Estar escondido com Cristo significa que Nele nós temos segurança e satisfação.

Daí que começamos a compreender, que aquele que está em Cristo tem segurança que sua vida está bem guardada.

  • Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado. (Salmos 55.22)
  • Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. (Salmos 91:1-2)
  • Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente na angústia. (Salmos 46:1)

Portnto, A pergunta que tenho é: Porque mesmo convertidos, fraquejamos em confiar em Deus?

  • Existem aqueles que estão sucumbindo com o tempo.
  • Existem aqueles que estão desesperadamente sofrendo pelo amanhã.
  • Outros que desistem ao longo da jornada por causa das constantes derrotas.
  • Ainda, aqueles que reclamam que oram e não são ouvidos.
    • O que Deus faz, é mostrar que a nossa vida está escondida com Cristo em Deus. (Aplicação)
    • Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. (Isaías 26:3)
    • Torre forte é o nome do Senhor; para ela correrá o justo e estará em alto retiro. (Provérbios 18:10)

A confiança em Deus é um exercício, uma atitude.

  • Quando olhamos para a confiança como uma atitude, entendemos que mesmo em meio aos processos, Deus se faz presente.
  • Na hora da angústia, ele está presente.
  • Da felicidade, ele está presente.
  • Na hora da oração sem palavras, ele está presente.
  • No momento que não resta soluções humanas, Ele está presente.

Existem algumas atitudes que expressam a nossa confiança em Deus.

  • Não estou vendo, mas confio que meu Deus está no controle.
  • Entrego todos os meus anseios na presença de Deus.
  • Entendo, que acima da minha vontade, existe a vontade de Deus.
  • Tomo posições, que pela lógica humana são impossíveis, mas diante de Deus sei que estou confiando.
  • Entrego as minhas ambições pessoais nas mãos de Deus, e ele que controla o meu amanhã.
  • Compreendo, que não é no meu tempo, mas no tempo determinado de Deus.

Entendemos pois, que confiança é a firme convicção que se o socorro não vier de onde você aguarda, ele virá de alguma outra parte, mas Deus vai mover o seu braço em favor daqueles que nele esperam.

  • Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera. (Isaías 64:4)
  • Fazer aplicação.

Quarto: Nós estamos glorificados com Cristo (v. 4)

Cristo é a nossa vida.

  • Paulo afirmou: “Não sou eu mais quem vive, mas é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2.20)
  • A vida eterna é Cristo. “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 João 5.12).
  • A essência da vida eterna é conhecer a Cristo (João 17.3).
  • algumas vezes dizemos de alguém: “A música é sua vida. O esporte é sua vida. Fulano vive para trabalhar”.
    • Os tais encontram a vida e tudo o que ela significa na música, nos esportes e no trabalho. Para o cristão, porém, Cristo é a vida. Jesus Cristo domina seu pensamento e preenche sua alma.

Cristo agora está assentado à direita de Deus Pai no céu, mas um dia Ele virá em glória para nos levar para o lar.

  • Quando Ele se manifestar, nós, que estamos escondidos com Ele, também seremos manifestados em glória (1 João 3.2).
  • O fim do nosso caminho não é o sepulcro coberto de lágrimas, mas o hino triunfal da gloriosa ressurreição.
  • A nossa jornada não terminará com o corpo surrado pela doença, enrugado pelo peso dos anos, coberto de pó na sepultura, mas receberemos um corpo de glória, semelhante ao de Cristo.
  • Nosso choro cessará, nossas lágrimas serão estancadas. Não haverá mais luto, nem pranto, nem dor.

Quais são as glórias da esperança cristã?

  • A revelação: Nós temos a Palavra de Deus (1 Ts 4:13,15)
  • O retorno: Cristo voltará novamente (1 Ts 4:14-15)
  • Ressurreição: Os mortos em Cristo ressuscitarão (1 Ts 4:15-16)
  • Arrebatamento: Os crentes que estiverem vivos serão transformados e arrebatados para encontrar o Senhor nos ares (1 Ts 4:17)
  • Reunião – Os salvos estarão para sempre com o Senhor (1 Ts 4:17-18)

Em conclusão, a manifestação de Cristo está breve.

  • O arrependimento se dá hoje.
  • O choro se dá hoje.
  • O sentimento de se aproximar mais de Cristo se dá hoje.

3 Comments

  1. Airton Aparecido Nunes disse:

    Muito bom este estudo tenho sertesa de que maneira Deus tem te abençoado para ensinar aquele que tem vontade de aprender muito obrigado Deus abençoe sua vida irmão

  2. NILIA VIEIRA disse:

    muito bom esse estudo amei,
    DEUS TE ABENÇOE SEMPRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREGADOR QUALIFICADO