Ide por todo mundo e pregai o evangelho! Versículos evangelisticos na Bíblia

Ide por todo mundo e pregai o evangelho! Versículos evangelisticos na Bíblia

A Bíblia realmente ensina sobre evangelismo? essa é uma prática necessária?

Nesse estudo vamos aprender um pouco mais sobre como a Bíblia Sagrada revela o evangelismo, sabendo seu início que ocorreu na igreja primitiva, sendo esse um assunto de grande importância, jamais pode ser esquecido!

Quero trazer também a parte ao qual se refere a você! considerando que todos foram chamados para evangelização.

Esse estudo é o segundo da série evangelismo publicado na EnfoqueBiblico, por isso veja os demais clicando aqui e não deixe de nos acompanhar para ficar por dentro dos próximos aprendizado a ser publicados.

Vamos aprender também sobre a ordem de Jesus para nossas vidas, aquela aonde se estamos no ônibus, escola, trabalho e independente de onde seja, devemos cumpri-la. Pregar o evangelho é necessário, por isso fiz questão de comentar passo-a-passo como desenvolver uma excelente pregação.

Quer descobrir mais? Parece interessante? Então, continue lendo e veja mais da Palavra de Deus.

Nesse tópico você irá ver:

  • Como a Bíblia revela o evangelismo
  • A mensagem de poder da Igreja Primitiva
  • Como os apóstolos anunciavam o evangelho
  • Filipe, um servo que chamava a atenção na Palavra
  • Antioquia, a maior igreja missionária
  • O chamado para todos de evangelização
  • O IDE de Jesus
  • Como estamos rejeitando a ordem de evangelização sem perceber

Exemplos bíblicos de evangelização

Quando estamos a buscar referências de evangelização na Bíblia sem dúvidas somos levados ao livro de Atos, aonde nos mostra uma Igreja cheia de Deus ao qual conseguiu cumprir a vontade que está no coração dEle.

Quando estamos mencionando essa igreja, falamos de um modelo a ser seguido, eles por sua vez, conseguiram de forma eficiente realizar o que receberam de Cristo.

Logo após a ressurreição de Cristo, Ele ainda ficou quarenta dias ensinando aos seus discípulos acerca das coisas do céu, nesse período instruiu a Igreja que seria formada.

Quando foi assunto ao céu, seus discípulos não hesitaram em querer que essa Igreja fosse logo inaugurada, voltaram para Jerusalém e perseveravam ali em orações e suplicas ao Senhor, é incrível a unidade que essa igreja primitiva tinha, nós poderíamos seguir seu exemplo.

Depois de dez dias, na festa do pentecostes, acontece o derramar do Espírito Santo, evento esse, marcante na vida daqueles irmãos, mostrando que a obra de Cristo estava agora confiada a todos os seus discípulos, e essa não podia ser de qualquer maneira, eles precisaram ser revestidos para continuar ela.

Sem o Poder de Deus, os irmãos primitivos jamais conseguiriam cumprir o que Jesus esperava deles, sem o Consolador, não chegariam até os confins da Terra, esta igreja era cheia de segredos (inclusive, já comentado em um de nossos estudos).

Isso significa que a fundação da igreja foi com poder e evangelização, então não conseguiremos cumprir jamais o chamado d’Ele em nossas vidas se não buscarmos olhar para essas duas maravilhas, ser cheio do Espírito Santo e também incendiar o mundo com a mensagem do Evangelho.

Quando somos cheios de Virtude, nossa evangelização se torna eficiente.

Os irmãos primitivos

A igreja logo em seu primeiro momento, já na “inauguração” começou a exercer sua missão. Pedro cheio de graça (existe um estudo exclusivo sobre graça, explicando tudo aqui no nosso site) levanta sua voz no Pentecostes, e naquela feita são quase três mil almas que se renderam aos pés do Filho do Homem.

Vejamos a prontidão do apóstolo ao não esperar nem sequer um momento, ele bem podia ter “cruzado os braços” e falado: “Vocês crucificaram Ele, agora também não vamos deixar provar da Virtude que nos abraça”.

Muito ao contrário, cheio de fé, pregou a verdade e conseguiu alcançar diversas almas.

O ato de evangelização não parou por ali, o capitulo 4 de Atos e versículo 4 nos fala de pelo menos quase cinco mil almas que também aceitaram o Rei dos reis diante do discurso de Pedro e João.

Percebemos o Evangelho tomando conta dos apóstolos, não quiseram de maneira alguma cessar de proclamar a mensagem da Cruz. Quanto mais faziam isso, mais o Senhor operava sinais, prodígios e maravilhas no meio deles.

Observamos por exemplo, a fé daqueles homens, a Bíblia nos revela que até a sombra de Pedro por onde ele passava, curava (Atos 5.15). Outro evento muito importante de cura que Pedro participou foi o coxo da porta formosa, esse história é rica em detalhes.

Falando da igreja primitiva, gosto de observar um texto, e vamos fazer isso juntos:

“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.” (Atos 4.32-33).

Interessante! A multidão crescia em unidade, era um o coração deles, e tinham dentro de si uma caridade aonde não conseguiam jamais deixa a soberba tomar conta.

O que mais me chama atenção nesse texto sem dúvidas é: “eles davam testemunho da ressurreição de Cristo com grande poder”.

Hoje em dia, observamos diversos grupos religiosos que se dizem anunciar a Cristo, porém, cadê o poder que operava com os apóstolos e também opera até hoje? Irmãos, vamos tomar cuidado ao anunciarmos a mensagem do Filho.

Não podemos de forma alguma nos contentar apenas com a letra pois ela pode matar más o Espírito (Poder) vivifica (2 Coríntios 3.6).

Ainda analisando Atos 4.32-33, imagine como seria a palavra do Cordeiro anunciada hoje em dia com Poder e Unidade, talvez não veríamos jamais a desunidade que é mancha para cada igreja, não teria um proclamando a “mensagem do dinheiro” outro do “auto ajuda” e os demais de forma diversas.

Mas, todos com o Poder do Céu conseguiriam alcançar a unidade no corpo de Cristo.

Parece-me pensando nisso, consigo “ver na minha frente” diversas almas se rendendo a Cristo, pessoas com o coração quebrantado e em contrito aonde Deus de forma alguma despreza (Salmo 51.17), indo mais além, pessoas sendo curadas e maravilhas acontecendo no meio da noiva do Cordeiro.

Irmãos, quanto tempo faz que não vemos milagres no meio da igreja? quanto tempo faz que não contemplamos maravilhas no meio do seu povo? Se lembra como Ele curou o paralítico de Betesda? Foi simplesmente, maravilhoso!

O Pai não mudou e jamais irá mudar, o problema é que nós, conforme se passa o tempo, passamos a dar prioridade para outras coisas e nos esquecemos do real significado do Evangelho.

Existe ainda, hoje em dia, aqueles dizendo sobre os milagres existentes na igreja primitiva, acreditando que era para eles somente.

Desculpa quem acredita dessa forma, eu respeito sua opinião, porém, prefiro acreditar que o mesmo que acontecia com cada um deles também pode acontecer hoje, basta buscarmos todos juntos a unidade e sempre evangelizando, Deus ainda tem muito a fazer no nosso meio.

Se não tem “motivo” para Deus derramar do seu milagre, porque Ele vai derramar? Vou explicar melhor.

Se não vamos ao hospital atrás de quem está enfermo, porque Deus vai nos dar o dom de curar? Se não vamos nas praças atrás dos endemoninhados, porque Deus vai nos das o dom de libertação? Se não vamos atrás dos que estão esperando uma palavra do céu, porque Deus vai dar o dom da palavra de sabedoria? Se não falamos mais em línguas, porque Deus vai nos dá o dom de interpretação de línguas?  Melhor é refletir nisso e passar a praticar um pouco das obras que eles praticavam.

Filipe, o fervor na mensagem

Falando ainda sobre os cristãos primitivos, como não se lembrar de Filipe? quando os discípulos foram dispersos ele desceu a Cidade de Samaria para pregar a Cristo (Atos 8.5).

Acho interessante desse acontecimento que a mensagem dele era tão fervorosa ao ponto da Bíblia dizer: “as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia” (Atos 8.6).

Que pregação maravilhosa Filipe tinha, chamava a atenção de todos, e vale ressaltar, o texto diz “as multidões”, então, ele não atraiu apenas um público e uma vez, más diversas multidões em várias vezes. Tudo isso, por causa do que ele fazia e falava.

Filipe sabia como entender as Sagradas Escrituras, é de fundamental importância para nosso crescimento espiritual nós conhecermos as 5 regras fundamentais para uma eficaz interpretação da Bíblia:


Existe um grande impacto na nossa fala quando as pessoas podem nos ver fazendo aquilo que estamos pronunciando.

Se subirmos em um púlpito e falar: “Jesus Cura”, “Jesus faz cegos veem”, “Jesus derrama do Espírito Santo”, e no final nada acontecer, nós cristão de um certo tempo até podemos entender, porém e aqueles que estão visitando aquela igreja? podem eles se perguntar: “Se Jesus faz tudo isso, então cadê?”

Isso gera certamente uma expectativa não correspondido aonde acarreta na frustração.

Sabe qual era a mensagem de Filipe? Atos 8.35 nos responde:

“Então Filipe, abrindo a sua boca, e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus.” (Atos 8.35)

O que fazia de seus ensinamentos tão impactante? era o Cristo anunciado por intermédio dela, não tem outra mensagem tão atual igual a essa, quando olhamos somente para aquele que deu sua vida por cada um de nós.

Antioquia, uma igreja missionária

Atos também nos fala sobre a igreja de Antioquia, revelando sobre os membros dela que eram cheios de virtude para evangelizar, vejamos:

“E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram.” (Atos 13.1-3)

Não sabemos quem fundou a igreja de Antioquia, porém, quem o fez, soube como edifica-la na Palavra de Deus e no poder do Espírito Santo, pois foi dela que saiu os primeiros missionários transculturais do Cristianismo, porque não relembrar também que foi lá aonde fomos chamados pela primeira vez de cristão (Atos 11.26).

Observamos que na igreja de Antioquia existiam doutores e profetas, e aqueles obreiros souberam como preparar o caminho para evangelizar a todos pois enquanto estavam lá, serviam ao Senhor e jejuavam (Atos 13.2).

Isso nos mostra que, quando estamos falando de missão transcultural, enquanto não sabemos para onde ir, quem ir e como ir, devemos buscar a Deus de todo nosso coração, alma e entendimento e no momento certo ele irá responder.

O nosso serviço dentro da igreja é necessário, pois é nela que vamos começar a dar os primeiros passos no aprendizado e ensino.

Existem pessoas que até podem ter um coração voltado para obra missionaria, más se esquecem de algo, enquanto não forem enviados devem esperar o momento de Deus na vida deles, sendo instruídos da maneira correta dentro da igreja.

E a resposta de Deus não demorou, o Espírito Santo chama Barnabé e Saulo para a obra que Ele tinha na vida deles (Atos 13.2).

Quando Ele chama alguém é porque ele já tem uma obra preparada, não podemos relutar contra o chamado, temos que entender isso, nosso Pai nos proporciona o melhor dessa terra, e quando falamos de evangelização, não devemos de forma alguma levar isso como uma obrigação apenas, más como uma dádiva derramada em nossas vidas.

Não existe nada mais prazeroso do que estar levando a mensagem do Sumo Sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque. Devemos ser obedientes a isso, a Bíblia Sagrada, isto é, Jesus, como no exemplo em Caná da Galileia.

Interessante pensar, Paulo e Barnabé podiam ter falado: “Ele nos chamou más não estamos preparados”, porém, não relutaram, os obreiros colocaram as mãos sobre eles orando e os enviaram (Atos 13.3).

Por isso cabe cada um de nós atenção voltada para a vontade de Deus, para que, quando nos chamar à uma obra, tenhamos a capacidade de estarmos prontos e dispostos a cumpri-la.

Evangelização um chamado para todos

Durante um jogo de futebol quando o jogador consegue cumprir seu objetivo de fazer gol, ele chama todos seus companheiros de equipe para poder comemorar, levando em conta também as vezes que não precisa nem chamar, pois de prontidão todos vão aproveitar aqueles breves momentos de recompensa, se vê uma felicidade estampada no rosto deles.

É interessante o quanto para cada um aquele momento é importante, se o jogo estivesse indo de mal a pior, certamente tristeza se veria, más a alegria deles atrai a atenção.

Exemplo simples esse que vou utilizar, más com base no parágrafo acima, imagine, Jesus faz um chamado para todos de sua “equipe”, Ele não estava olhando qual a posição que você está atuando, apenas faz um convite, a gratificação dele é poder comemorar cada vitória com seus companheiros.

E a conquista já conseguiu, triunfando sobre a Cruz, então agora começa o chamado a todos.

Quando estamos falando de evangelização devemos pensar, o nosso Deus não optou por escolher alguns e não outros, más sim de um chamado universal para esse mundo.

Não existe acepção de pessoas para com o nosso Pai. Ele pega desde o necessitado até aquele que tem abundância e faz um convite:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. (Marcos 16.15).

Essa é a tão conhecida ordem imperativa de Jesus para nossas vidas, visto que o próprio significado de imperativo já nos ensina muito:

Gramaticalmente, imperativo é o modo verbal que expressa na atitude do falante uma ordem ou súplica em relação ao ouvinte.

Ex.: “Respeite a natureza”. Imperativo categórico – é uma proposição da filosofia que expressa uma ordem absoluta, que considera a ação que se vai fazer como objetivamente necessária e que não está subordinada a nenhuma condição exterior ou a contingência subjetiva que possa revocá-lo. Ex.: “Não matarás”.

O ide de nosso Senhor é uma ordem absoluta, ao qual nada pode alterar ela em nossas vidas. É incrível como nos deparamos com diversas desculpas quando estamos a mencionar essa vontade do Espírito de evangelização para nós. Fácil escutar pessoas com argumentos semelhantes a:

  • Não fui chamado para ser pregador!
  • Não fui chamado para ser missionário!
  • Não fui chamado para ser pastor!

Desculpas e mais desculpas.

Esses “nãos” acabam limitando o ser humano de provar o real chamado de Deus para a vida dele. Quando Jesus pronuncia Marcos 16.15, Ele não está se dirigindo a pregadores, missionários, pastores ou quaisquer que seja o cargo do mesmo.

Ele diz: “ide”, você e eu fomos capacitados pelo Santo Filho a uma grande obra, não podemos perder tempo achando que se ficarmos parados já estamos cumprindo a vontade de Deus, não desvalorizo de forma alguma um descanso, porém, estamos em tempos de se movimentar, poder abrir os olhos e ver a real necessidade dessa geração.

Não podemos desperdiçar oportunidades

Moro em São Paulo, estive observando ao longo dos últimos dias enquanto andava por lotações públicas, o quão diferente é a cultura das pessoas. Existem aqueles que são calmos, aparentemente nada o tira o sério, outros que até pelo jeito de se vestir já está dizendo como se porta, alguns falando mais alto, agora, voz suave também se é capaz de escutar por outros.

Más, observei com um propósito, imaginei se cada uma daquelas pessoas não tivesse tido um encontro com a Cruz do Calvário, quem seria a pessoa que iria levar a mensagem do Evangelho até eles? Simples, cheguei rápido a uma conclusão, não existe ninguém capaz a não ser eu e você!

Nós que já provamos da Glória, devemos ver o mundo como ele realmente está, no maligno (1 João 5.19). Existe diversas pessoas capacitadas a levar a Palavra, porém, não espere pelos outros, se veja na condição de ser usado por Deus.

Cada um que passar em sua frente, pense: “acabei de ter uma oportunidade desperdiçada”. Não podemos deixar o mundo tragar as almas, antes, levar cada uma delas ao caminho da poderosa salvação.

Imagine comigo, como seria se hoje todas as igrejas e catedrais que existe, ao invés de se preocupar tanto com a beleza do templo, começasse uma obra mundial de evangelização, visando cumprir o chamado do Espírito Santo.

Teria pregadores nas faculdades, hospitais, ruas e praças. Não se importando jamais com o julgamento alheio, más com um coração incendiado pelas pessoas que vai levar o evangelho.

Segundo o site de notícias exame, pouco mais de 85% da população brasileira se diz cristã, sendo dividas entre católicos e evangélicos (os dois maiores grupos).

Agora, se cada um desses entender realmente o chamado universal para a igreja? Seria fácil ver uma guerra não contra carne e sangue más sim contra potestades e principados (Efésios 6.12).

Antolhos, esse é o nome da ferramenta que se coloca no cavalo para limitar a sua visão, infelizmente, hoje em dia existe também diversas pessoas usando esse apetrecho.

Irmãos, o Filho de Davi nos chamou para pelejar, buscando um avivamento no meio do seu povo e por intermédio disso um derramar mundial de poder, não podemos limitar nossa visão. Devemos ir atrás de todos.

Ainda falando sobre o ide de Jesus, o comentarista Matthew Henry escreve: “A incumbência dos ministros de Cristo estende-se a todas as criaturas no mundo, e as declarações do Evangelho não contêm somente verdades, exortações e preceitos, mas também advertências temíveis, observemos com que poder os apóstolos foram dotados, para confirmar a doutrina que iam pregar.

Estes milagres foram úteis para confirmar a verdade do Evangelho, e meios para difundi-lo às nações que não o haviam ouvido.”.

Quero destacar do comentarista, ele nos diz que os apóstolos foram dotados para confirmar a doutrina ao qual iam pregar.

O termo que Matthew utilizou foi confirmar, ou seja o descer do Espírito Santo, serviu para realmente mostrar que eles tinham de pregar o Verbo Ressuscitado (Você sabia que Jesus foi chamado de Verbo? Existe pelo menos outros 100 nomes atribuídos a Jesus que você precisa conhecer).

Quero que você entenda, da mesma maneira que o Poder do Alto atuou naquela época, também o faz hoje.

Não precisamos esperar um segundo pentecoste para sair a evangelizar, já aconteceu! a confirmação já se fez! Agora, com a liberdade concedida, devemos todos cumprir conforme descrito por Henry, a incumbência de mostrar a Mensagem Salvífica.

Porque não lembrar também da frase de Spurgeon: “Bendigo meu Senhor e Mestre por ter-me dado um evangelho que posso levar a pecadores mortos, um evangelho que está à disposição do mais vil de todos os homens.”.

Esse mesmo sentimento do grande ganhador de almas, devemos ter cada um de nós, não ver somente como uma obrigação ou mandato divino de evangelizar, más ter a gratidão todas as vezes, por ser sido alvo e poder levar também esse mesmo sentimento a todos os moradores da terra. Ao qual está a disposição para todos, até o mais pecador de todos os homens.

Falando também sobre sentimento de prazer ao levar a Palavra, me lembro do profeta Isaías quando teve uma incrível visão do Mestre, logo após Deus exclama:

“Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.” (Isaías 6.8).

Perceba que por ele ter tido um encontro com o Santo, foi lhe feito um convite, aonde de prontidão responder positivamente sem relutar.

Assim devemos nós também, o convite já foi feito, se tivemos realmente um encontro com o Verdadeiro não podemos querer ignorar esse chamado, más, com disposição e efetividade cumprir sabendo que essa é a vontade para seu povo.

Conclusão

Aprendemos com cada exemplo citado e também com o chamado universal que não podemos parar de forma alguma de anunciar as boas novas do Senhor, pois Ele tem dado a cada um de nós a capacidade de ser um ganhador de almas. Irmãos, quanto ao escrever esse estudo, queria que cada um vocês conseguissem olhar para essas que leram e crava em seus corações, não vamos mais perder oportunidades como foi descritor, antes, ir atrás daqueles que estão à espera de nós.

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Tessalonicenses 5:23).

Quero acreditar que esse estudo falou contigo, se preferir posso mandar um estudo exclusivo toda semana para edificação da sua vida, é bem simples e gratuito, basta clicar na imagem abaixo ou aqui. Fica na paz!

NOTAS:

Comentário bíblico Matthew Henry.

http://www.significados.com.br/imperativo/

Perola para a vida – John Blanchard.

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/um-perfil-dos-cristaos-do-brasil-em-11-numeros

2 Comments

  1. ADRIANA LÚCIA FERNANDES VIANA disse:

    SIMPLESMENTE MARAVILHOSO E ABENÇOADO ESTES ESTUDOS BÍBLICOS, FAZ TEMPO QUE PESQUISAVA POR UM SITE CONFIÁVEL E GRATUITO PARA ME EDIFICAR MAIS NA PALAVRA DO SENHOR E GLORIA A DEUS POR TER ENCONTRADO. DEUS TEM ME DESPERTADO, DEPOIS DE MUITOS ANOS DE EVANGELHO A EVANGELIZAR E PREGAR AS BOAS NOVAS A TODOS, CONFORME FOI NA IGREJA PRIMITIVA. NÃO MIM SENTIA CAPACITADA PARA FAZER A OBRA, PORÉM FINALMENTE O ESPIRITO SANTO ME CONVENCEU QUE DEVO SER OBEDIENTE AO MEU DEUS E SEGUIR OS SEUS PASSOS. QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO A TODOS VOCÊS QUE FAZEM PARTE DESSE ABENÇOADO ESTUDO.

    • Felipe Bernardino disse:

      Irmã Adriana a paz! Seu comentário serviu como bálsamo de recompensa na nossa vida, somos grato por esse estudo ter falado ao seu coração, vamos estar orando por sua vida e pedindo que Deus cumpra todo o chamado dEle contigo, que Deus abençoe. Fica na paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREGADOR QUALIFICADO