Conclusão do Sermão: Como Fazer de Forma Transformadora

A conclusão do sermão é um dos momentos mais importantes da pregação, se você não concluir de maneira correta possivelmente seus ouvintes não vão entender o que fazer a partir daquele momento.

Quando estamos pregando, estamos expondo conhecimento e aplicações práticas a respeito da Bíblia Sagrada, contudo, não dar um rumo a ser tomado (conclusão), pode acabar perdendo a eficácia na pregação.

Recebi nesses últimos dias um comentário de um irmão que me disse: “Sinto dificuldades para finalizar minha pregação, gostaria de saber como fazer isso.”

De acordo com essa dúvida, estou escrevendo esse artigo totalmente prático para te ajudar a fazer a conclusão de um sermão.

Veja abaixo uma relação de casa assunto que vai ser abordado:

  • Uma conclusão eficiente deve apresentar um objetivo.
  • A conclusão de um sermão não precisa ser anunciada.
  • Exemplos práticos de conclusão que podem te ajudar.
  • O principal erro cometido em uma conclusão de sermão.
  • Não existem regras quando estamos na direção do Espírito Santo.

Acredito que o conteúdo que vamos transmitir, é totalmente completo, contudo, se ficar com dúvidas pode estar utilizando o campo comentário para perguntar.

Não deixe também de baixar o nosso livro completo, falando sobre como elaborar uma pregação com 10 excelentes passos.

Uma conclusão eficiente deve apresentar um objetivo

O primeiro propósito da sua conclusão, deve ser falar para o ouvinte o que deve ser realizado após o término daquele sermão.

Não adianta você prega durante 40 minutos, e no final não deixar uma resposta para o ouvinte. Vou mostrar alguns exemplos práticos:

  • Se você pregou sobre oração, mostre para os ouvintes o que eles devem fazer dali em diante. Como: Orar mais, buscar ter mais relacionamento com Deus, desenvolver intimidade em oração e assim por diante.

Claro, esse objetivo que você vai mostrar para o ouvinte, deve ser coerente com o que você pregou. Não adianta durante o sermão ensinar sobre algo e na conclusão falar de outra coisa que não está relacionado.

Esse objetivo na conclusão do seu sermão, é algo que priorizamos. Paulo quando escreve a Timóteo diz:

“Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.” 2 Timóteo 2.4

Os ouvintes e até mesmo você como pregador(a), é um soldado em guerra contra o pecado e o inimigo. Nenhum soldado vence uma batalha se não estiver com as estratégias certas.

Esse “rumo” que você apresenta na conclusão do sermão, é justamente as estratégias para estamos vencendo as nossas lutas diárias, porque depois de uma pregação, vem a prática, e precisamos saber como praticar.

A conclusão de um sermão não precisa ser anunciada

Entenda algo, você não precisa ficar falando que vai concluir o sermão. Isso é algo que tira a atenção do ouvinte.

Você já viu aquele pregador que quando está finalizando, fica falando: “Já estou encerrando”. E na verdade, demora mais 30 minutos até encerrar. Isso é um erro.

Com a atitude de ficar falando que está terminando você causa:

  • Uma inquietação no ouvinte, pois ele fica se perguntando “quando vai acabar”.
  • Tira a concentração, pois a pessoa que estava terminando acabar para fazer algo, provavelmente, vai começar a fazer quando você falar “estou encerrando”.

Então em hipótese alguma fique enunciando que vai terminar. Antes, faça isso de maneira espontânea sem maiores alardes.

Inclusive, essa deve ser uma atitude para cada passo no seu sermão. Jamais você deve ficar falando o que vai fazer.

Seja na introdução, desenvolvimento ou conclusão. Seja o mais espontâneo possível, mostrando que está preparado para aquela ocasião.

Vale ressaltar também que conclusão não é desenvolvimento de sermão. Por isso é algo que deve ser breve e objetivo, diria que em 5 minutos ou no máximo 10 você consegue concluir com excelência.

Exemplos práticos de conclusão que podem te ajudar

No primeiro ponto estive falando sobre o objetivo que deve ter a conclusão do seu sermão, e para clarear ainda mais seu entendimento, reservei alguns exemplos práticos de conclusão para te ajudar.

Você pode encerrar contando um testemunho

Um dos grandes diferenciais do ministério de Jesus, foi justamente porque ele ensinava por meio de parábolas.

As pessoas tendem a se conectar mais com histórias, isso chama a atenção. Até você mesmo, quando escutar uma boa história, se vê encantado por isso.

Como resultado, se na conclusão do seu sermão você tiver um testemunho que transforme a vida dos ouvintes e mostre para eles o que deve ser feito, conte esse testemunho.

Não precisa ser necessariamente um testemunho que aconteceu na sua vida, as vezes você pode pegar uma “história” que leu em um livro ou escutou de alguém. Desde que seja verídica.

Caso esteja fazendo uma ilustração, ou seja, algo que não é verídico. Deixe isso claro para seus ouvintes.

Termine citando um versículo chave

Você pode concluir seu sermão, mostrando um versículo chave, que ajuda a clarear ainda mais o entendimento a respeito daquilo que foi falado.

Existem versículos que realmente causam um impacto imenso dependendo do que você pregou. Por isso, saiba utilizar essa ferramenta ao concluir um sermão.

Eu diria que terminar dessa forma pode até ser considerado bem simples, então se estiver começando, pode aplicar essa conclusão.

Vale ressaltar também que ao ler esse versículo, sempre faça uma explicação e aplicação em cima dele. Não leia e termine, antes faça um comentário prático em cima.

Você pode recapitular o que já foi falado

Uma maneira que você consegue concluir com eficácia também, é recapitulando de alguma forma os principais pontos que abordou.

Vale ressaltar que, recapitular não é pregar de novo! Então não é para ficar repetindo as coisas que já falou, apenas, traz a lembrança, dando uma ênfase prática em cima delas.

Nesse momento, destaque suas aplicações, mostrando que aquilo ao qual foi falado, é totalmente possível de ser realizado no nosso dia-a-dia.

No final de tudo, faça uma oração com a igreja se possível

Não diria que essa é uma parte da conclusão do sermão, mas diria que essa é uma atitude antes de entregar a direção do culto para quem já estava dirigindo.

Depois que realizar sua conclusão, de alguma maneira que foi falado acima, ou ainda, de alguma forma que o Espírito Santo te guiou a fazer.

Faça uma oração com a igreja, isso ajuda acendendo uma chama no coração dos ouvintes. Inclusive, pregar sem oração de nada adiante, então se possível ore.

Não faça isso sem a direção do Espírito Santo e autorização do pastor local, então tome cuidado.

O principal erro cometido em uma conclusão de sermão

Eu preciso deixar como ponto aqui, o principal erro que vários pregadores cometem em uma conclusão de sermão.

Muitos pensam que devem terminar sua pregação em “movimentos”. Isso é símbolo principalmente do movimento pentecostal. (obs: de forma alguma estou falando mal do movimento pentecostal, inclusive sou de uma igreja pentecostal.)

Contudo, o movimento não deve ser o principal objetivo da sua conclusão. Como disse no início, seu principal objetivo é demonstrar para os ouvintes o que deve ser feito após a pregação.

Quando os pregadores estão na busca por esse “movimento”, acabam dando lugar para as emoções e acabam “forçando a barra”.

Óbvio que, o Espírito Santo quando quer fazer movimento, Ele assim o faz. Porém, isso não é forçado pelo pregador, é vindo da parte de Deus para a igreja.

Eu mesmo, já preguei ao qual conclui de maneira reflexiva, pois o mover do Espírito era no interior. Em outras vezes, conclui com um movimento visível, pois o Espírito queria demonstrar sinais no meio da igreja.

A questão é que não depende do pregador, e sim da vontade de Deus para aquele culto. Cada culto é uma lição nova, não tem como querer que todo culto seja igual, até porque nosso Deus sabe o jeito certo de fazer as coisas.

Então, fuja desse erro comum de pregadores, principalmente daqueles que estão começando.

Tudo que foi falado não é regra

Você já viu um pregador(a) fazer diferente do que foi falado nesse artigo, e a pregação ter uma qualidade bem grande?

Se sim, é porque tudo que foi falado não é regra. Tenho ensinado sobre pregação ao longo dos últimos anos de minha vida, e o que mais tenho percebido é que não existem regras para concluir um sermão.

Existem detalhes indispensáveis, como por exemplo:

  • Seu sermão deve ter conclusão.
  • Sua conclusão precisa ser breve.
  • Sua conclusão tem que mostrar a prática, falar como deve ser feito.

Contudo, como você vai fazer isso, não existem regras. Porque no momento do sermão, somos guiados pelo Espírito Santo.

Algo que menciono sempre para meus alunos do curso Pregador Qualificado é que eles devem ser sensíveis a voz do Espírito Santo.

No grande momento da pregação você é um arauto de Deus, alguém que da maior evidência, para a verdadeira voz, a voz de Deus.

Então, se em algum momento você se sentir guiado pelo Espírito a fazer algo novo, faça, desde que, seja bíblico e realmente vindo da parte de Deus.

Nosso objetivo com esse artigo, foi te ajudar a pensar em diferentes formas de concluir sua pregação e te passar informações importantes a respeito disso.

Vou deixar também alguns artigos que já publicamos aqui no site falando sobre pregação:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREGADOR QUALIFICADO