Pregador: O caráter e conduta de um verdadeiro ministro

Pregador: O caráter e conduta de um verdadeiro ministro

Pregação vai muito além do púlpito, um verdadeiro ministro do evangelho, não tem uma vida hipócrita. Ele prega e vive o que prega.

No assunto desse estudo, vamos tratar como deve ser verdadeiramente o caráter e conduta de um pregador(a). Se você prega a palavra de Deus, leia atentamente que Deus tem algo a ensinar em seu coração.

Paulo quando escreve a Timóteo diz: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (2 Timóteo 2:15)

Esse versículo é sem dúvidas direcionado a todos que pregam, porque somos obreiros do Senhor, e devemos fazer duas coisas, apresentar-se a Deus aprovado e manejar bem a palavra da verdade.

Você pode estar errando muito nessa parte, contudo, tenho certeza que ao término do artigo, vai saber o rumo certo para transformar sua vida e começar colher resultados da pregação.

Veja abaixo de forma pontuada o que iremos abordar:

  • Porque o pregador(a) tem que ter um caráter e conduta diferente?
  • O pregador(a) deve ter caráter
  • A primeira conduta necessária: Manejar bem a Palavra da verdade
  • A segunda conduta necessária: O amor pela obra de Deus
  • A terceira conduta necessária: Ser uma pessoa que ama conhecer e aprender

Eu vou transmitir o máximo de conhecimento possível, contudo, se no final do artigo, ainda estiver com dúvidas, pode deixar um comentário.

Não deixe também de baixar gratuitamente nosso e-book com mais de 100 páginas falando sobre como fazer minha primeira pregação com 10 excelentes passos.

Porque o pregador(a) tem que ter um caráter e conduta diferente?

Você já teve essa pergunta: “Porque o pregador tem que ter um caráter e conduta diferente?”

Se sim, acredito que seja um ótimo sinal, se preocuparmos com o jeito que vivemos enquanto ministros do evangelho é uma necessidade diária.

A verdade é que a resposta para essa pergunta é bem simples, nós como mensageiros de Deus, falamos diante do povo e devemos fazer isso em verdade, não pode falar daquilo que não vivemos.

“Porque para isso fostes chamados, porquanto também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo, para que sigais as suas pisadas.” (1 Pedro 2.21)

Você não foi chamado para pregar de qualquer jeito, com uma vida desarrumada, você tem como Mestre o próprio Jesus, que teve um caráter e conduta ilibada.

Um verdadeiro discípulo do Mestre é aquele que pratica os ensinamentos de Cristo, e não somente os prega.

Se você fala uma coisa diante da igreja e no dia a dia vive diferente do que fala, preciso te dizer algo, a igreja mais cedo ou mais tarde vai perceber que está mentindo.

Quando sua conduta e seu caráter, deixa de ser coerente com sua pregação, você está manchando a mensagem do evangelho.

Em um estudo que escrevi recentemente falando sobre “O Espírito Santo e o Pregador”, estive falando que pregador quando não vive o que prega, entristece o Espírito Santo.

Será que você tem entristecido o Espírito Santo por intermédio de suas atitudes diárias, ou será que você tem o alegrado?

O pregador(a) deve ter caráter

Caráter é um conjunto de características e traços relativos à maneira de agir e de reagir de um indivíduo ou de um grupo. É um feitio moral. É a firmeza e coerência de atitudes.

Um pregador(a) que não demonstra caráter, automaticamente suas mensagens serão vazias, ilusórias e desqualificadas.

Qual é a maneira que você se comporta na sua vida no geral, tem caráter nela? As pessoas quando conversam com você, vêm um ministro do evangelho ou uma pessoa sem comprometimento.

Já recebi algumas perguntas, mais ou menos o seguinte:

  • Como ter autoridade no sermão?
  • Como pregar e ver os sinais do Espírito Santo?
  • Como falar de tal maneira que o público se interesse?

Apesar de cada uma dessas perguntas ter uma abrangência na resposta, tudo se remete a vida integra que o pregador(a) tem com Deus.

Se não existe uma maneira coerente com o evangelho de se comportar em sua vida, as suas pregações também não vão ser em poder.

Arthur Skevington Wood dizia que: “Se não possuirmos um apetite positivo pela Palavra, não devemos ser pregadores, pois não fomos chamados a pregar outra coisa que não seja a Palavra.”

Eu sinceramente sei o que Arthur quis transmitir, não podemos viver um evangelho de aparência, a primeira coisa que deve emanar de você é uma intensa fome e sede de viver a Palavra.

A primeira conduta necessária: Manejar bem a Palavra da verdade

O texto que mencionei logo na introdução desse artigo (2 Timóteo 2.15). Uma das recomendações de Paulo a Timóteo era maneja bem a Palavra da Verdade.

E aqui é algo importante para nós também, costumo imaginar o seguinte:

  • Você já viu pedreiro trabalhar sem cimento?
  • Você já viu caminhoneiro trabalhar sem caminhão?
  • Você já viu fotógrafo trabalhar sem câmera?

Poderia mencionar ainda inúmeras outras profissões, mas porque estou falando isso? Porque não tem como você desempenhar sua função sem sua principal ferramenta, isso tanto no trabalho como na igreja.

Não tem como pregar se você não se dedica em estudar a Bíblia Sagrada, visando manejar bem a Palavra da Verdade. O relaxo, descuidado e despreparo, Deus não aprova.

Você pode estar pensando: “Mas isso é claro, se eu prego, tenho que estudar a Bíblia”. Porém, não falaria algo para você que não fosse necessário, sabe por que é importante ser dito?

Um estudo publicado pelo Francis A. Schaeffer Institute of Church Leadership Development, revela uma pandemia que existe entre pastores. O estudo afirma de apenas 38% de pastores leem a Bíblia em uma devoção diária e estudo pessoal.

Se até mesmo essa “doença” tem se espalhado entre pastores, por que não dizer então de pregadores? Que muitas das vezes estão começando.

Comece hoje a ler, estudar e aplicar o máximo da Bíblia em sua vida.

Tem até uma história interessante, que diz que certa vez um irmão passa em frente a casa do seu pastor e o vê mexendo no seu jardim, daí esse irmão diz: “E pastor, trabalhando né?”, dai o pastor diz: “Não filho, estou no meu momento de folga”.

Na volta o irmão passa de novo na frente da casa, e vê o pastor lendo a Bíblia, daí ele diz: “E pastor, só na vida boa né?”, e então o pastor responde: “Não, agora sim eu estou trabalhando.”

A sua verdadeira função como um pregador, começa em ter sua “ferramenta de trabalho” bem afiada em sua vida.

A segunda conduta necessária: O amor pela obra de Deus

A Bíblia diz: “Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino.” (Romanos 12.7)

Você tem se dedicado a essa obra que Deus confiou em sua responsabilidade? Ou tem deixado de lado?

Vejo muitas pessoas que amam a pregação, amam também estudar a Bíblia, contudo, falta um zelo imenso pela obra de Deus.

Amar a obra de Deus é tão fundamental quanto estudar a sua Palavra. Não tem como falar:

  • Eu amo pregar, mas não visito e ajudo os necessitados.
  • Eu amo estudar a Bíblia, mas não vou ajudar no culto de ensinamento ou escola dominical.
  • Eu amor fazer uma pregação, mas odeio evangelizar.

Que amor a Deus é esse, que “ama” fazer algumas coisas, mas despreza outras que são de suma importância também. Você pregador, quantas vezes foi no evangelismo na sua igreja?

Tem um conhecido meu, que se intitula “pregador itinerante”, sabe o que mais dói? Ver que essa pessoa se dedica a isso, mas esquece de todas outras coisas importantes.

Tem uma célebre frase que diz: “Quem não senta para aprender, não deve levantar para ensinar.”

É exatamente esse o sentimento, se você não frequenta os trabalhos de sua igreja para aprender, por que quer então levantar para ensinar?

  • Como falar de evangelismo se nunca evangelizei?
  • Como falar sobre ajudar o próximo se nunca ajudei?
  • Como falar sobre dar bons conselhos se nunca dei?

Faça a obra de Deus, ame a obra de Deus. Como resultado, você vai recolher aprendizados extraordinários que podem ser aplicados em sua pregação.

A terceira conduta necessária: Ser uma pessoa que ama conhecer e aprender

Pregador não é uma pessoa acomodada na vida. Muito pelo contrário, é uma pessoa que ama aprender coisas novas e recolher aprendizados de tudo.

A cada momento que você passa no seu dia, a cada conversa que você tem com alguém. É exatamente ali que você pode aprender algo novo.

Uma das coisas que mais tento tirar do meio de nossa geração, é justamente a falsa ideia de que “o pregador não precisa aprender mais, se não fica sem unção”. A questão de criar uma barreira entre unção e conhecimento é totalmente errada.

Nós temos que entender que unção é diretamente proporcional a conhecimento, porque só podemos sentir o Espírito nos usar se realmente sabermos o motivo de ele nos usar.

Uma das grandes questões da nossa geração é o comodismo em relação a buscar mais conhecimento, contudo, o pregador não pode ser participante desse comodismo.

Existe uma frase de um pregador conhecido que vai dizer:

“A experiência dos anos obriga-nos a dizer que o apelo às emoções, embora frequentemente aumente os resultados, aumenta o joio em grande proporção.” F. C. White

Quer continuar apelando somente pelas emoções e deixar o conhecimento de lado? Vá em frente, como resultado, não vai estrar contribuindo substancialmente para o crescimento do Reino.

Conclusão

Tudo que foi falado, se você tratar com a devida prática e respeito. Tenho certeza que vai ter um caráter e conduta de pregador.

Não se esqueça jamais que citamos apenas alguns exemplos para te guiar nessa jornada, contudo, existem diversas outras coisas que compõe um caráter e conduta de pregador.

Se você ficou com alguma dúvida ou quer falar algo, pode usar o campo comentário logo abaixo.

Vou deixar também alguns artigos que já publicamos na Enfoque Bíblico ao qual fala um pouco mais sobre pregação:


Notas e consultas extras:

GrowChurch

Significados

2 Comments

  1. Quero aprender a ser um pregador da palavra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREGADOR QUALIFICADO